terça-feira, 18 de setembro de 2012

Entrevista exclusiva com Lupa

  Paulo Henrique da Silva Santos, 22 anos, nascido e criado numa comunidade ''Vila Arquelau'' na cidade de Uberaba MG.
Seu envolvimento com a cultura Hip Hop no início de 2005 na Escola Estadual Leandro Antônio de Vito com o Grupo Etnia do Gueto: Lupa, Tiago e Muguinha.
Após diversas celebrações pela cidade e região e participarem de diversos discos, inclusive o Das Ruas Mineiras do MC Lindomar 3L.





Guilhiard: Porque do nome artistico,Lupa?


Lupa:  Surgiu numa troca de idéias na gravação da coletânea ''Em Busca de um Sonho''

O nome que usava era muito comum e sentia a nessecidade de mudar para um nome artístico.
Foi aí que surgiu Pixaim, grande amigo que me consagrou, pois gostava demais de usar óculos de sol, aí acabou virando meu nome artístico,LUPA!




Guilhiard:  Como surgiu o Rap na sua vida?Como você se tornou Mc de apoio do Lindomar 3L?





Lupa:  Em 2005 tive a oportunidade de participar da oficina de Rap que o Lindomar realizava na Vila Esperança.

Saia da Vila Arquelau a pé junto com meus amigos Tiago e Muguinha pra participar da oficina.
Criamos um laço de amizade muito grande, começamos a participar dos ensaios, dos eventos dele, acabamos ficando muito amigos.
Sempre tive facilidade de decorar as músicas dele e sempre procurei fazer o melhor de mim, tanto no palco, tanto fora dele,
ou seja, sempre fui correria. Acho que pela amizade, e pelo profissionalismo que sempre carreguei, consegui alcançar meu espaço dentro 
do grupo 3L. Hoje 3L é uma empresa, na qual tenho orgulho de participar e viajar por todo o país!



Guilhiard:  Como surgiu o grupo Etnia do Gueto?O grupo acabou?

Lupa:  Escrevo Rap desde os 13 anos de idade, morava no Bairro Abadia quando comecei a escrever.

Na época, era bastando envolvido com o crime, fazia muita bagunça.
Meus pais brigavam muito e eu ficava no meio do conflito sem entender. Fiquei bastante revoltado com tudo isso, acabei indo morar com meu pai.
Entrei na Escola, e conheci a professora Regina, ela percebeu que eu tinha a necessidade de falar alguma coisa, aí mostrei uma letra que tinha.
Ela gostou demais e me convidou pra participar de um evento que ia rolar na escola sobre o preconceito.
Estava bastante nervoso, aí algumas meninas da sala que estudava (Vanessa, Edilaine e Letícia) me falaram que Muguinha e Tiago cantava Rap.
Conversamos, formamos o grupo e fomos além de apresentações na escola... O grupo não acabou, O Muguinha está levando a idéia por onde vai, o Tiago
deu um tempo por causa de um problema de saúde, e eu, quase 90% das apresentações, realizamos juntos.
Só não faço parte do grupo, mas estamos sempre juntos nas apresentações.

Guilhiard:  Quanto tempo você ta nessa caminhada?


Lupa:  Vai fazer oito anos que estou nessa caminhada. O Rap chegou em minha vida num momento que estava precisando muito de desabafar, ali foi onde me encontrei.

Graças à Deus, tive progresso com tudo isso!




Guilhiard:  Quais dificuldades que você encontrou pelo caminho em sua correria no Rap?

Lupa:  A principal dificuldade, é o preconceito. A gente sofre muito preconceito vindo de uma parte da sociedade por cantar Rap.

Mas é uma barreira que a cada dia que passa, estamos quebrando e mostrando o verdadeiro papel do Hip Hop. 

Guilhiard:  Algum obstaculo já o fez pensar em desistir?


Lupa:  Até hoje nunca pensei em desistir, quando a raiva tenta tomar meu coração, tirar meu foco, meu refúgio é a caneta e o papel.

Me sinto bem aqui, é o que me faz feliz, não penso em desistir, Deus não me colocou aqui atôa!

Guilhiard:  Quais foram suas motivações pra continuar caminhando?



Lupa:  Quando você olha no olho de jovens da comunidade, você acaba chegando a conclusão que você é importante na vida deles.
Minha maior motivação não é ver o público cantando nossas músicas e sim quando chega alguém e diz: Mano, aquela troca de idéias que a gente teve
me fez pensar muita coisa e graças a ela, me fez ser uma pessoa diferente.
Essa é minha maior motivação.

Guilhiard:  Você fez ou faria algo pra revolucionar o movimento Hip Hop de Uberaba?Explique!


Lupa:  Se for preciso, faço! Não só pelo Hip Hop, e sim pelo povo. A grande proposta do Hip Hop é chegar nas comunidades e apontar os problemas, mas não só mostrar

e ficar por isso mesmo. Devemos mostrar e apontar a solução.
Acho que, com troca de idéias com a população, a gente consegue muita coisa em prol da comunidade.

Guilhiard:  O que você acha que ta faltando pra que a revolução se concretize no Hip Hop de Uberaba,e assim ultrapassar os horizontes?


Lupa:  O Hip Hop de Uberaba, tá no caminho certo. Se você for ver, tem a Batalha do Calçadão, o CTS realiza diversos eventos, Comando R, Fator X também, Totoin grava CD, grava vídeo clipe,

A gente da 3L Produções faz vários eventos também, acho que estamos no caminho.
A única  coisa que falta, é parar essas conversas fiadas dos intermediários, esse disse e me disse, essa conversa pra boi dormir... Se parar com isso, acredito que iremos dar um grande passo.

Guilhiard:   O que você deseja fazer pelo Rap e pelo movimento Hip Hop ?

O que você almeja deles(do rap e do Hip Hop)?

Lupa:  Tudo que desejei, estou fazendo, oficinas de Rap, apresentando novos rumos à comunidade pra que essa geração futura não se perca.

Viajo bastante com shows ao lado do Lindomar 3L, e poder levar nossa realidade à outras comunidades é muito gratificante também. 

Guilhiard:   Como surgiu em sua vida a oficina Rap qual você é oficineiro?Como você se tornou oficineiro nela?


Lupa:  Desde 2005 que participo de oficinas de Rap. Já participei de muitas, peguei muita experiência com isso.

A oportunidade de ser contratado pra fazer oficina surgiu em 2009 quando o Lindomar foi morar em São Paulo.
Ele era contratado pra realizar a oficina, como teve que ir, me colocou no lugar dele. Vai fazer 2 anos que sou contratado pra fazer oficina de Rap!

Guilhiard:   Hoje a oficina tem um publico forte e fiel?O você acha disso?


Lupa:  Importante não só pra mim, mas pra todo o movimento Hip Hop que só tem a ganhar com novos talentos chegando.


Guilhiard:  Quais seu projetos futuros?


Lupa: Pretendo realizar diversos eventos, fazer vários shows, várias oficinas, vários vídeos clipes, pra quando eu tiver uma estrutura melhor, e ter a oportunidade de apresentar 

cada jovem da oficina pro cenário nacional.

Guilhiard:  Essa é frequente do Blog.Pra quem vc tira o chapéu?


Lupa: Pra diversas pessoas, mas uma em especial é o Lindomar 3L, por ter me projetado e ser um verdadeiro militante em prol da cultura e da construção de um sociedade melhor. 


Guilhiard:  Deixa um salve pra quem você quiser ,"mano" e finalizamos por aqui.


Lupa:  Gostaria de agradecer o espaço ao meu amigo e parceiro Guilhiard, muito obrigado e parabéns pelo excelente trabalho.


Meu salve vai para Lindomar 3L, minha querida comunidade Vila Arquelau, Gladiador, Hernane MC, Fábio Araujo do Rio de Janeiro, Muguinha e Tigo Etnia do Gueto e para todos os leitores que fortalecem a ideia e passa adiante.

Tamo junto sempre uai!




Conheçam tudo sobre Lupa e seus trampos visitando seu Blog: 
Confiram o video Clip do som




Um comentário:

  1. Ei tio!

    Primeiramente meus parabéns pela entrevista, na qual perguntas e respostas representaram em grande estilo e objetividade, o movimento Hip Hop uberabense.

    Como amigo, Lupa é fiel e leal. Como art'vista (artista e ativista), um profissional sério, talentoso, que sabe onde quer chegar.

    Tamo junto sempre uai!

    Lindomar 3L



    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget